quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Femme assise Au chapeau en forme de poisson (300)

 

De Poussin a Cézanne o percurso faz-se nos dois sentidos. No sentido que se pretender, para falar verdade, desde que se siga um percurso qualquer e que se saiba reconhecer o caminho de volta. É preciso voltar ao ponto de partida. A um qualquer ponto de partida. O interior de uma montanha não chegaria para guardar todas as imagens que o antes, o depois e o entretanto produziram. Há muito mais antes de Poussin, e muito mais depois de Cézanne. A ópera rock complementa o discurso artístico, não directamente, não linearmente, mas através do curso da imaginação que tem servido a produção de pinturas. Uma outra história de arte, certamente.

 

 

Sem comentários: