segunda-feira, 30 de setembro de 2013

História das duas Luas de Veneza (269)

"História das duas Luas de Veneza"

Vai no ar uma espécie de festa no atelier. Não sei se a alegria contida nestes desenhos contagiará os outros. Não foi esse o objectivo. Mas existe, está lá. De papel para papel, vai no ar uma espécie de conversa que elas todas têm tido umas com as outras. Aquilo tudo junto aviva-se e eu também.

Dia 5 de Outubro, no Módulo, às 18h, eu serei aquele de camisa vermelha para vos dar a conhecer "O Verão que ela usava tinha nos sapatos a cor dos seus pés".

Até lá.

 

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Duzentos e tal... é um convite! Apareçam.

 

Os Verão que ela usava tinha nos sapatos a cor dos seus pés

Figures and Grounds, (Fadiga & Lassidão)

Há neste conjunto de trabalhos um quadro vermelho. Foi a partir do vermelho desse quadro que imaginei toda montagem na galeria (Módulo). Nesse quadro existem duas personagens, o Ferreiro de Urano, e a Mulher Cabeça de Veado. Fazem ambos parte de uma composição-colagem cheia de elementos que organizam o campo visual e onde se agarra um admirável mundo que suponho dar a ver. Têm ambos uma história, ou fazem parte de uma história que por agora não interessa contar. O quadro chama-se "O Verão que ela usava tinha nos sapatos a cor dos seus pés". Nesta exposição, anuncio, sem ponta de tristeza, o fim de um ciclo e o princípio de um outro.

domingo, 8 de setembro de 2013

As sombras que árvores dão (267)

Ontem, de debaixo de uma generosa árvore, abri uma mala cheia de coisas que fiz. "A árvores do Sr. Gervásio" tinha livros repletos de desenhos e textos, significantes poéticos dentro de caixas de saladas de outros dias quentes, uma peça de arquitectura que se destina à cidade imaginária Aurora da Liberdade, cadernos de desenho puro, uma caixa com uma imagem de um retrato de uma família muito especial - por onde se espreitava, funcionando como câmara lúcida. Postais de exposições que realizei e os meus dois livrinhos editados pela & etc. A minha pequena instalação tinha a possibilidade de ser explorada: os livros abertos e lidos, as coisas tocadas.

"Oferecem-se sombras", um projecto da autoria da Vera Mantero. A luz de Setembro encheu o dia, comi maçãs e bebi água. Vi gente que se sentou a ler os riscos que faço das minhas mãos.