sexta-feira, 29 de abril de 2011

113




É altura de voltar ao grande lago de marfim. Os canhões da tormenta já não se ouvem. Vou pela vereda abaixo, pelo caminho ferido, até encontrar uma pedra de sal com que hei-de temperar a carne viva. Digo-vos alguma coisa da experiência, quando lá chegar, não me vou esquecer disso, prometo.

sexta-feira, 22 de abril de 2011